terça-feira, 16 de junho de 2009

Implante Coclear - Deficiência Auditiva

Implante Coclear - Uma possibilidade de uma melhor qualidade de vida!



( Imagens cedidas e liberadas pela família do menor)

Temos em nosso Colégio a presença de um aluno implantado, desde 2007, onde buscamos colaborar com seu aprendizado, ele faz acompanhamento com fonoaudiólogo, e busca adquirir cada vez mais habilidade com a fala além de contar com a colaboração de todos que fazem parte da família Mickeylândia.

Hoje ele está no 4º ano fundamental I (antiga 3ª série), é muito alegre e esforçado, interage com todos os seus amiguinhos e professores. Sua família colabora e participa ativamente de todo o processo desde o início. Este é Nilton Valentino Ferreira Filho, hoje com 10 anos e feliz de poder se socializar de todas as formas plenamente!

Como nós ouvimos?

O sistema auditivo humano pode se dividido em duas partes:

  • http://www.otocentro.com.br/conteudo/images/icon_dot.gif Periférico
  • http://www.otocentro.com.br/conteudo/images/icon_dot.gif Central


O Sistema Auditivo Periférico é formado pela
Orelha externa, Média e Interna.

A Orelha Externa é formada pelo pavilhão auricular (conhecida como orelha), conduto auditivo externo, o qual é totalmente fechado pela membrana timpânica (Tímpano)

Na Orelha Interna localiza-se a cóclea (responsável pela audição) e o vestíbulo e canais semicirculares (responsáveis pelo equilíbrio). A cóclea tem a forma de um caracol e o seu interior é preenchido por líquidos onde encontramos pequenas células, chamadas de células ciliadas, as quais mantém um íntimo contato com as fibras do nervo auditivo. Este por sua vez, envia os impulsos nervosos para o cérebro, permitindo-nos percebê-los como som.

1- O som (sons ambientais, ruídos e a fala) é captado pelo pavilhão auricular, atravessa todo o conduto auditivo externo e choca-se contra o tímpano(2), pondo-o em movimento.


2- Como o tímpano está preso aos três ossículos da orelha média, através do martelo, todo o sistema, tímpano e ossículos, vibra fazendo com que o som alcance os líquidos da cóclea(3).

3- Na cóclea o som alcança as células ciliadas e estas transforma-o em impulsos nervosos estimulando as fibras do nervo auditivo(4). Daí estes impulsos chegam ao cérebro onde os interpretamos.

O que é um Implante Coclear?


O Implante Coclear (IC) é uma prótese implantada cirurgicamente dentro da cóclea (orelha interna) de pessoas portadores de perda auditiva de grau severo a profundo, ou seja por aqueles que não se beneficiam com o uso de aparelhos auditivos convencionais.

A função do IC é transformar os sons (fala e sons ambientais) em estímulos nervosos, estimulando as fibras do nervo auditivo, ou seja, substituindo a função da cóclea, especificamente as células ciliadas, tornando possível ouvi-los.


O IC possui duas partes:

  • http://www.otocentro.com.br/conteudo/images/icon_dot.gif Unidade Externa (processador de fala)
  • http://www.otocentro.com.br/conteudo/images/icon_dot.gif Unidade Interna (receptor/estimulador)

Existem dois tipos de unidade externa, a de bolso e a retroauricular.

As partes que compõem a unidade externa são:

1- Microfone
2- Processador da Fala - Retroauricular

3- Compartimento de Baterias (pilhas)
4- Antena Externa

A Unidade Interna é formada por:

1- Antena Interna
2- Receptor/Estimulador
3- Eletrodo Terra
4- Feixe de Eletrodos

Como o Implante Coclear funciona?

1. O microfone da unidade externa capta o som e o transforma em sinais elétricos. Estes sinais são enviados para o processador de fala onde são codificados enviados para a antena externa.

2. A antena externa envia estes sinais para a antena interna. A antena interna envia-os para o receptor/estimulador os quais são enviados para a cóclea através do feixe de eletrodos..
3. O feixe de eletrodos intra coclear estimula as fibras do nervo auditivo. (4)

Indicações


Quem são os possíveis candidatos ao implante coclear?


O IC é indicado em indivíduos:

1. Portadores de surdez de grau severo a profundo.
2. Que não se beneficiam com o uso de aparelhos auditivos (são realizados testes para a verificação do benefício).
3. Portadores de surdez congênitas (presentes ao nascimento) e adquiridas (após nascimento).
4. Com condições psicológicas adequadas.
5. Com expectativas realistas quanto aos possíveis resultados.
6. Com (re)habilitação auditiva adequada na cidade onde reside.
7. Adultos, idosos e crianças acima de seis meses.
8. Motivados para a cirurgia.
9. Com ciência da cirurgia e possíveis complicações.

DÚVIDAS

1. Durante a cirurgia o meu crânio é aberto e o implante é colocado no meu cérebro?
Resposta: não, apesar da incisão (corte) ser feito atrás da orelha (na cabeça) os eletrodos do IC são colocados dentro da cóclea (orelha interna) e não no cérebro, em nenhum momento o crânio é aberto.


2. Existem vários fatores que interferem no resultado do IC, como: tempo da surdez, idade que apareceu a surdez, causa da surdez, uso de aparelho auditivo antes da cirurgia e reabilitação no pós-operatório?
Resposta: sim, o resultado do implante não é igual para todos os pacientes. Cada caso é um caso! Todos os fatores acima são importantes no resultado da cirurgia de IC.

3. Principalmente as crianças necessitarão fazer reabilitação auditiva no pós operatório, para que tenha chance de perceber e produzir fala?
Resposta; sim, a reabilitação auditiva é fundamental no sucesso da cirurgia, principalmente as crianças, as quais iniciarão o processo de aprendizado da compreensão e produção da fala, após a ativação do implante.

4. Poderei nadar e praticar esportes após a cirurgia de IC?
Resposta: sim, o paciente poderá nadar após a cirurgia, após a retirada da unidade externa do IC, da mesma maneira que é feita pelos usuários de aparelhos auditivos. Não há restrições quanto a prática de outros esportes.


5. Os riscos da cirurgia de implante coclear são maiores do que os de outras cirurgias do ouvido?
Resposta: não, a cirurgia de implante tem o mesmo risco do que outras cirurgias de ouvido como as timpanomastoidectomias, desde que as condições de saúde sejam boas.


6. Qual a melhor idade para fazer a cirurgia?
Resposta: Em crianças quanto antes fizermos a cirurgia melhor, atualmente já se realiza a cirurgia de IC a partir dos seis meses de idade, isto porque o cérebro possui uma grande capacidade de aprendizado da audição e linguagem até os primeiros 5 anos de vida (plasticidade cerebral), principalmente nos 2 primeiros anos de vida.

7. O que o paciente poderá conseguir com o implante coclear?
Resposta: dependendo de características de cada indivíduo, como as citadas na questão 2, os pacientes poderão entender a fala sem apoio da leitura orofacial, ouvir música e até falar ao telefone.

O hospital Santa Joana em Recife - PE realiza o 2º implante coclear após o sucesso do 1º em abril de 2007.

A pouco tempo foi mostrado na TV globo, no programa de Ana Maria Braga uma reportagem a respeito dos implantes cocleares, as dificuldades e angustias de quem precisa dessa cirurgia, que custa muito caro todo o processo e que ainda não está sendo totalmente coberta pelo SUS em todos os Estados do Brasil e mesmo na rede privada a briga ainda é enorme com os planos de saúde que insistem em não querer cobrir a cirurgia e a imensa felicidade de quem tem a possibilidade de fazer e ter uma qualidade de vida melhor!

É extremamente necessário que haja um planejamento de como pode ser feito um projeto que disponibilize essa cirurgia para as camadas mais carentes da população, pois todos temos direitos iguais!

Por Andrêzza Martins

(Parte do artigo é encontrado no :http://www.otocentro.com.br/ e www.politec.net( aparelhos auditivos) onde podem ser visualizadas as imagens explicativas)




2 comentários:

  1. Ficou perfeita a postagens, adorei.parabéns. meu filho ficou lindo.

    ResponderExcluir